SOBRE FEITICEIROS… (3)

“O Feitiço”

 

A arte de trazer vida com as palavras,

Feitiçaria…

 

O poder de criar do nada,

de fazer sentir

de fazer viver

de fazer sorrir…

 

Esta é a teoria que sempre acreditou,

Que sempre conheceu.

 

Feiticeiras são deusas das palavras,

Poesia viva e magica.

 

Mas como mito sempre ouviu,

De quem nem de palavra precise,

Que com um simples pensar, traga do desejo a pele, a magia.

Nunca acreditou, até que entendeu, que do feitiço dela

Ele não conseguiu fugir.

 

Foi tocado pela magia e só depois percebeu,

Quando sentia o odor inebriante de seus cabelos

Mesmo nem estando ali,

Quando sentia a profundidade de seu

Mesmo sem se cruzar,

Quando se envolvia em sua voz

Ouvindo apenas sussurrar feitiços em seus pensamentos…

 

Feitiçaria da saudade, o nome que aprendeu

De quem de longe cria desejo,

De quem distante inspira a falta até do que não se teve…

De quem até sem nenhuma palavra, caneta ou pena,

Tem o poder de fazer sorrir…

 

Clarence Santos

 

(Ilustração: Memeto Oliveira)

Anúncios

Sobre Feiticeiros… (2)

“A Feiticeira”

 

E só quando entendeu o que acontecia,

Ele lembrou do que dizia o velho magico:

“Feitiçaria é a arte de trazer vida com as palavras…”

 

Pois com palavras ela trouxe vida a corpos inertes,

Haja luz, e houve luz,

Haja musica, e houve musica,

Haja vida… E silhuetas moldadas no barro viram carne…

E dançam leves,

num emaranhado de corpos,

Movimento e musica.

 

Olhos que se encontram entre a volta de um lado a outro,

O cheiro dos cabelos que invade o olfato,

O sorriso da alegria da vida,

As mãos que embalam os movimentos,

O calor que se emana e sente-se então vivo.

 

E assim ele então compreendeu,

Ela, feiticeira também é deusa,

Que da palavra trás vida,

Que dá palavra viva…

 

Clarence Santos

 

(Ilustração: Memeto Oliveira)