Sinestesia

A Garota do Sobrado

 

A porta do sobrado parecia um quadro de moldura antiga,

Quando o sol bateu logo pela manhã,

Ela se desenhou como um pintura em preto e luz

Numa silhueta que se descobriu como inspiração de meu encantamento.

 

Como quem pensava na vida ela olhava o céu, e a vida era boa,

Pois um sorriso se discreto se abria no canto direito da boca

Deixando escapar os sonhos que brincavam em sua mente.

Os cachos de seus cabelos negros que ignoravam a simetria

Eram acariciados por sua mão

Enquanto seu cotovelo se apoiava no portal.

Sua outra mão levava a boca o cigarro

Que o trago tratava de transformar em nuvem

Tendo o céu azul como pano de fundo…

 

O corpo nu aparecia divino em suas curvas acentuadas

Pelo brilho e as sombras

que dançavam nelas

Em cada balançar, cada se ajeitar…

 

O cigarro acabou, o rosto virou

Trazendo um sorriso de surpresa e timidez diante de meu olhar

O corpo girou e caminhou em minha direção,

E agora o sorriso era meu…

Subiu na cama como quem escala se apoiando em meu corpo,

E com os cachos agora caindo sobre meu rosto

Assinava a obra de arte no sorriso e em um beijo.

 

Clarence Santos

 

(Ilustração: Memeto Oliveira)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s